Jornalista Blogger Alentejana Entertainer

Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Bichanando

Onde uma jovem quarentona limpa o cotão que tem no cérebro! Só caganças e fanfarronadas! Por Dios!!!!

Bichanando

Onde uma jovem quarentona limpa o cotão que tem no cérebro! Só caganças e fanfarronadas! Por Dios!!!!

Cúmplice do toureiro...

Não vou aqui discutir os touros de morte. Porém, há que dizer, a população de Barrancos vive a festa com uma alegria tal que quando damos por nós estamos na casa de alguém a beber bom vinho, vamos à vizinha 'roubar' um bolito, paramos no tasco para cantar e a risada é tanta que já nem sabemos porque raio estamos a gargalhar há horas.
Estava eu na Rádio Voz da Planície (Beja) quando a discussão eclodiu. Os touros de morte foram proibidos mas naquele agosto o matador viera de Espanha. Como sempre, a festa brava fez-se na praça central de Barrancos, deixando a Igreja no meio da arena. Engolida pelo maralhal de pessoas, eu- que quando Deus nosso Senhor distribuiu a coragem estava no fim da fila-, lá me escondi debaixo das improvisadas bancadas de madeira. Não vi nada da tourada. Nem touro, nem toureiro. Minto.
É que no meio da confusão entrei pela Igreja dentro e fui parar à sacristia. Estava já a pensar: «Elsa Marina já estás outra vez a fazer m....», quando ouvi: «Perdona!»
Era o espanhol do toureiro que trocava de roupa para não ser reconhecido. Riu-se. Eu fiquei estática. Despediu-se: «Gracias».
Moral da história: nunca fui boa a aproveitar os furos que me caem no colo!