Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Bichanando

Onde uma jovem quarentona limpa o cotão que tem no cérebro!

Bichanando

Onde uma jovem quarentona limpa o cotão que tem no cérebro!

20190716_090351.jpg

Faltava-me cá este agora! E o que eu gosto de gatos!  Tenho carinho pelos animais mas confesso que os gatos fazem-me espécie! Tenho medo. Saltam muito rápido. São esguios. Assustam-me. Que porra.
Então não é que agora lá no Casa Pia - perceba-se Estádio Pina Manique - anda para lá sempre um emplastro destes, para mais preto que nem breu, a enlear-se-me nas pernas? Se é para ser superticiosa estou lixada.
Anda sempre atrás de mim, o cromo de quatro patas. E mia-se todo!
Eu fujo e ele corre atrás de mim como se estivessemos a brincar. E eu grito. E enxoto-o. E ele parece adepto da máxima - quanto mais me bates mais gosto de ti! Chego a encalhar no bicho! Imaginam o meu desespero?
Cheguei cedo. Fiquei a escrever no carro. Deixei a porta aberta.
SOCORRO! Que cagaço!
E depois para ele sair de lá de dentro? Eu gritava-lhe cá de fora mas o animal ou é estúpido ou surdo!
Ou gosta de mim - pobrezinho!
Tal não é a moenga...

P. S - E o bom do Zé Luís superpreocupado com a minha aversão ao bicho: -«Vê lá não vá o gato entrar para dentro do motor!» - Dah!

MyEmoji_190426_112334_14.gif

 

gatopreto.jpg

É verdade que sou alvoreada nas horas, que tenho pouco jeitinho ao volante  (sobretudo quando se trata de estacionamento), que tiro sempre mal as medidas aos pilares ....mas escafiar o carro três vezes numa semana, tinha de ter qualquer outra explicação. Não sou lá de grandes superstições mas há fases negras na vida de uma pessoa...e gatos negros. Se realmente dão azar, está explicada tanta aselhice. Tive de digladiar-me com um felino bem escuro à porta de casa. Não bastava o cabrão do galo que não para calado, o gordo do outro gato do vizinho que me desafia, e mia, quando estendo a roupa, quanto mais um gato preto que adora aninhar-se debaixo do meu carro. Sinto-me desconfortável com gatos. Sugam-nos a alma com o olhar. Fui por trás. Fiz shhhttt. Ele nada.
Abri a porta. Apitei. Chamei-lhe nomes. Mexeu-se tão lentamente que parecia gozar comigo. Lá saiu da sua 'cama' quando estava já disposta a arrancar com o bólide.Elegante, devagarinho, deu três passos e ficou a fitar-me como se dissesse: «vais-te embora porque eu deixo e sei que estás com medo de mim!»
Arrepiei-me.
Não me correu bem o dia. Mas já o lixei. Estudei muito bem os pilares da garagem e o meu BMW está agora sempre escondidinho. Toma e embrulha. Vai gozar com o.... peixinho!